Followers

Filmes

Loading...

Saturday, August 28, 2010

CAMBRALHA, cambada acabada, lixo, objeto em decomposição, coisa menstruada. Espaços abandonados, máquinas inutilizadas, especificidades ignoradas, cemitério. Instituições cristalizadas, humanamente inutilizadas. Máquinas substitutas, prostitutas filhas da puta, magnetismo. Triliças de cobre cobrem partículas deterioradas, chips enferrujados, tecnologia ultrapassada, sociedade abandonada.


Depois, lembranças esporádicas e psicodiagnósticos...


O texto precisa fazer sentido porra. Só não me recordo das alternâncias de imagens, quadro a quadro, oníricos sonhos esquartejados, quartos e puteiros de todas as cidades. Quarto abandonado, vagabunda mesa arreganhada, piranha alada, morena máquina de escrever viciada. As escolas, as senhoras, as instituições das esquinas, Exú guia, depressiva picada refratária, pião de demolição.


Agora sobrevôo


É mais fácil falar sobre coisas que possamos pegar, terra & ar. As máquinas funcionam mais tranqüilas: mimiógrafo; mimiografava; mimiografamos; enigma & problemas, papel quente, cheiro de álcool e liberdade... pensamento. Histórias dos lugares, lembranças das instituições do acaso, visitas solitárias, estrada imaginária, entranhas & realidades, liberdade, labirintos de pensamentos sob pensamentos.


Letreiro, lanterna, leiteria


...no alto-o-acima, aqui na frente-o-que-já-se-foi, lá dentro, objetos decompostos, ossos descascados, a mesma coisa diferente sempre... família, pecados, solidão e tensão, execução, objetos abandonados. Corredores, imagens arquetípicas, ilhas, estrelas, acidente fortuito, hinos, ritmo. Imagens imagéticas, projetor, luz, sombra, grunhídos, gozo & dor, odor, cor. Vaca amamentando, a mesma que não abandona o rabo do cometa. Instituição dourada nos céus está, 70 metros de muros de ouro, minha noiva me espera no altar, no purgatório em companhia das máquinas me enquadro, invisíveis corpus, esquinas, vícios inatos, enquanto isso no legislativo: mandatos judariásticos expedidos.


O lobo fareja a nossa preza


Atravesso o salão, janelas de vidros quebrados, espelhos ladeados, chão gelado, mármore rachado, catacumba dourada, santuário. As paredes das paredes são de pedras gigantescas, metal enferrujado, móveis abandonados... depois uma dose de cachaça, uma lata de sardinha e carnaval...